sexta-feira, 16 de junho de 2017

“Eu gosto de como a música é consumida hoje”, diz Priscilla Alcantara Cantora investe nas plataformas digitais e no público da internet



A cantora e compositora Priscilla Alcantara, um dos nomes de maior sucesso da atual década de música cristã contemporânea, acredita que as mudanças no mercado fonográfico, principalmente com o fortalecimento do streaming, é uma forma positiva no consumo de música.
“Para mim tem sido fácil a adaptação nessa mudança porque sempre estive envolvida digitalmente. Tanto a música, quanto qualquer outra coisa, sempre precisará se adaptar a evolução global, principalmente nessa fase em que todo mundo quer tudo muito rápido e ‘na mão’. Eu gosto de como a música tem sido consumida nos dias de hoje”, disse a artista, em entrevista ao Super Gospel.
A artista, que lançou o single “Tanto Faz” nas plataformas digitais no final de maio, entrou na veia do electropop para constituir o seu som. Mas adverte: “Nesse projeto combinei com meu produtor que exploraríamos todas as vertentes do pop. Não acho que precisamos limitar nossa arte a um tipo de som apenas”.

O resultado foi imediato. A música, também liberada no YouTube com apenas a capa do single, somou quase 400 mil execuções em cerca de um dia. No Spotify, uma das plataformas de streaming de maior sucesso, esteve em destaque em playlists de música evangélica.
Priscilla ainda lançará, no meio de junho, o videoclipe da canção, que conta com direção de vídeo de Flauzilino Jr., que já trabalhou com artistas e bandas como DJ PV, Paulo César Baruk e Daniela Araújo. O projeto gráfico do single, inclusive, é uma captura de uma das imagens do futuro videoclipe.
“Eu amo a arte e amo o espaço que ela nos dá para nos expressarmos de diversas formas. Decidi explorar o lado criativo para transmitir a mensagem de um relacionamento de amor com cristo. Não vai ser nada ‘comum'”, adiantou a cantora sobre a produção audiovisual.
Por fim, Alcantara fez críticas à religiosidade na arte cristã. “Fico triste por ver que, às vezes, alguns ‘filhos do Pai das artes’ dão tanto credito para o diabo ou limitam as habilidades que receberam de Deus. As artes são de Deus e os cristãos, por serem tão próximos a própria forte de criatividade e dons, deveriam estar mais como referência nesse meio”, lamentou.
Ouça a música de Priscilla Alcantara, “Tanto Faz”:

DEIXE O SEU COMENTÁRIO TOP GOSPEL